Em dois anos, chacinas no Brasil deixam 849 pessoas mortas

Dados da Fundação Perseu Abramo sobre os cenários da violência letal nas periferias revelam ainda que as motivações do crime variam de acordo com cada região do país.

ARQUIVO EBC/REPRODUÇÃO

Chacinas no Brasil

Em São Paulo, autoridades policiais estão atreladas ao crime, enquanto que no nordeste desponta atuação do crime organizado.

Entre outubro de 2016 e julho deste ano, 849 pessoas morreram assassinadas em 160 chacinas no Brasil. Este é um dos dados parciais da pesquisa realizada pelo projeto Reconexão Periferias da Fundação Perseu Abramo (FPA), divulgado nessa segunda-feira (3), durante o seminário “Violência, Cultura e Trabalho nas periferias do Brasil”.

De acordo com os pesquisadores, o intuito do levantamento “Chacinas por Chacinas e a politização das mortes no Brasil” é compreender, a partir do mapeamento das mortes, o cenário da violência letal, que revela ainda diferentes motivações para a execução do crime de acordo com cada região, como explica um dos autores, Uvanderson Vitor da Silva.

“Em alguns lugares, por exemplo São Paulo, a maioria das chacinas envolve autoridades policiais em alguma medida. Agora, quando você vai para o Nordeste, o que a gente identifica é que a maioria delas é cometida por grupos do crime organizado, enquanto no Centro-Oeste o que chama a atenção é que os crimes são cometidos em espaços de quilombos e no contexto de conflito de terra”, descreve o pesquisador.

Fonte: Rede Brasil Atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *