Nexo jornal: Qual o peso evangélico na política?

Ana Carolina Evangelista fala ao ‘Nexo’ sobre os dados que mostram crescimento desse setor na vida nacional

Em maio de 2016, uma pastora evangélica chamada Damares Alves anunciou, do alto do púlpito da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte, que era chegada a hora “de a igreja governar”. Menos de três anos depois, a pastora assumiu o cargo de ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos no gabinete do presidente Jair Bolsonaro, eleito em 2018 com apoio de importantes líderes de igrejas evangélicas no Brasil.

O crescimento evangélico na política eleitoral é apenas um dos reflexos do crescimento evangélico na sociedade como um todo. O gráfico abaixo registra esse crescimento em números, a partir de dados do IBGE, e apresenta uma projeção para futuro, com base nos dados atuais. Por essa projeção, a população que se declara evangélica ultrapassará a população católica no Brasil em 2032.

Gráfico projeta crescimento evangélico
O Nexo entrevistou a cientista política do Iser (Instituto de Estudos da Religião) Ana Carolina Evangelista sobre o papel dos evangélicos na política. Evangelista participou de uma pesquisa que mapeou 260 candidatos identificados como evangélicos disputando cargos legislativos estaduais e federais nos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro, em 2018 – dois dos principais colégios eleitorais do país.

Leia a reportagem completa no link: https://www.nexojornal.com.br/entrevista/2019/02/02/Qual-o-peso-evang%C3%A9lico-na-pol%C3%ADtica-segundo-esta-pesquisadora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *